sábado, 12 de março de 2011

MEIO AMBIENTE: Terremotos no Mundo

Terremotos!

Entenda como funcionam os terremotos e saiba quais foram os maiores terremotos registrados no Brasil e os maiores tremores de terra no mundo. Saiba como é feita a medição dos terremotos na escala Richter e até quanto vai esta medida.



Os terremotos sempre estiveram presentes no planeta. Ocorrem mais de 3 milhões de terremotos por ano, ou seja, mais de 8 mil por dia (praticamente um a cada 11 segundos). Então por quê não percebemos o chão tremendo o tempo todo?

A resposta é simples: eles são muito fracos para serem notados e um grande número deles ocorrem em solo marinho (que cobre 70% da superfície do planeta) ou em regiões desabitadas (desertos, regiões polares, montanhas e florestas).

Você vai ver muita coisa interessante sobre os terremotos e fotos incríveis, mas antes veja este infográfico explicando como e por que ocorrem terremotos e depois continuaremos a leitura.

Veja as principais causas de um terremoto:

Movimento das placas tectônicas - A causa principal e a que causam mais danos;

Erupções vulcânicas - Embora os vulcões provoquem abalos sísmicos são raros os casos em que causam algum dano;

Impactos de meteoros - Impactos de meteoros já são raros e os que causam terremotos mais raros ainda;

Desmoronamento de grandes estruturas - O desabamento de cavernas, minas, montanhas, etc provocam tremores leves e locais.

Esta incrível foto mostra os limites das placas tectônicas e, o que eu achei mais interessante, é que indica a direção para onde as placas tectônicas estão se deslocando.



É fácil perceber a quantidade de vulcões que surgem nos limites das placas. Perceba também que o Brasil fica localizado bem no centro de uma placa tectônica. Isso explica porque quase não ocorrem terremotos de grande escala no Brasil.

Aqui está uma lista com os principais e maiores terremotos ocorridos no Brasil:

São Paulo, 1922 – 5.1 pontos na escala Richter;

Espírito Santo, 1955 – 6.3 pontos na escala Richter;

Mato Grosso, 1955 – 6.6 pontos na escala Richter;

Ceará, 1980 – 5.2 pontos na escala Richter;

Amazonas, 1983 – 5.5 pontos na escala Richter;

Rio Grande do Norte, 1986 – 5.1 pontos na escala Richter;

Minas Gerais, 2007 – 4.9 pontos na escala Richter­.

Como você pode perceber os tremores de terra no Brasil são raros. Isso é muito bom, mas traz uma desvantagem: como são muitos raros, os terremotos não eram levados em conta na hora em que se construiam edifícios.

E isso pode trazer consequências desastrosas, afinal, mais cedo ou mais tarde ocorrerá um tremor de grande escala em cidades com muitos arranhas-céus como São Paulo ou Rio de Janeiro.

Falando em grandes terremotos veja uma lista e mapa com os maiores terremotos no mundo (os tremores mais letais):



1º - Shaansi, China, 1556, 830 mil mortos.

Na região central da China, a terra tremeu em 23 de janeiro de 1556 para produzir o pior desastre natural de que se tem notícia.

O terremoto atingiu oito províncias e arrebentou 98 cidades, algumas delas perderam 60% da população. A maior parte das pessoas morreu soterrada na queda de casas mal construídas.

2º - Calcutá, Índia, 1737, 300 mil mortos.

Relatos de época indicam que essa catástrofe de 11 de outubro de 1737 tenha sido um terremoto. Mas, como na época não existiam registros 100% confiáveis, alguns especialistas levantam a hipótese de que o estrago foi causado por um ciclone. Além dos mortos, o cataclismo deixou 20 mil barcos à deriva na costa.

3º - Tangshan, China, 1976, 250 mil mortos.

O tremor de 27 de julho de 1976 sacudiu o nordeste da China.
A cidade toda dormia quando o chão mexeu, fazendo cerca de 800 mil feridos. Até hoje, especialistas suspeitam que o número de mortos possa ser muito maior que o divulgado pelo governo. Estima-se que o total de vítimas possa ter chegado a 650 mil

4º - Kansu, China, 1920, 200 mil mortos.

Essa região situada no centro-norte do país não sentia um tremor havia 280 anos, mas esse de 16 de dezembro de 1920 botou para quebrar: atingiu uma área de 67 mil km2, arrasando dez cidades.

A série de ondulações deformou a área rural e prejudicou uma das principais atividades econômicas da região, a agricultura.

5º - Kwanto, Japão, 1923, 143 mil mortos.

O megatremor de 1º de setembro de 1923 atingiu as principais cidades do Japão. Só em Tóquio e Yokohama, mais de 60 mil pessoas morreram nos incêndios causados pelo abalo. Logo depois desse terremoto, a profundidade da baía de Sagami, no sul de Tóquio, aumentou mais de 250 metros em alguns pontos.

6º - Messina, Itália, 1908, 120 mil mortos.

Em 28 de dezembro de 1908, o sul da Itália sofreu com um grande terremoto que devastou as regiões da Sicília e da Calábria. Para complicar ainda mais as coisas, o tremor foi seguido por tsunamis de até 12 metros de altura. A seqüência de enormes paredes de água quebrou na costa do país e amplificou os estragos.

7º - Chihli, China, 1290, 100 mil mortos.

Quase não há registros sobre esse chacoalhão de 27 de setembro de 1290 - apenas a certeza de que ele foi um dos mais mortais da história. A província de Chihli, que teve seu nome mudado para Hopei em 1928, inclui a cidade de Tangshan e é famosa pelos terremotos, que já teriam vitimado mais de 1 milhão de pessoas.

8º - Shemakha, Azerbaijão, 1667, 80 mil mortos.

Por estar situada em cima de uma zona sujeita a abalos, essa cidade foi destruída por vários terremotos. O primeiro e mais mortal foi esse de novembro de 1667. Depois do susto, a tranqüilidade não durou muito: registros da época indicam que a terra voltou a tremer por lá dois anos mais tarde.

9º - Lisboa, Portugal, 1755, 70 mil mortos.

Em apenas 3 horas, a capital portuguesa foi atingida por três tremores distintos, que destruíram 85% da cidade. Gigantescas ondas atingiram a região, a água subiu 5 metros acima do nível normal e um incêndio consumiu casas, igrejas, palácios e bibliotecas. A tragédia aconteceu em 1º de novembro de 1755.

10º - Yungay, Peru, 1970, 66 mil mortos.

Esse terremoto de 31 de maio de 1970 fez desabar um enorme pico de gelo na cordilheira dos Andes. Em poucos minutos, a cidade de Yungay estava debaixo de uma massa de neve e detritos que desceram a encosta a mais de 300 km/h. Para piorar a situação, as inundações subiram o prejuízo para 530 milhões de dólares.

Clique aqui para ver uma lista completa com todos os maiores terremotos da história da humanidade, tanto em magnitude (intensidade) quanto em números de mortos.

Incrível, monitore os terremotos que estão ocorrendo no mundo em tempo real. O mapa é atulaizado cada vez que ocorre um novo tremor de magnitude significante no planeta.

A foto abaixo é um link que mosta um mapa-múndi com os terremotos ocorridos hoje e ontem (em vermelho), nas últimas duas semanas (amarelo) e nos últimos 5 anos (rosa). Detalhe: clique nos círculos para ampliar a região do terremoto.


Maiores detalhes acesse o link abaixo.
Fonte: http://planetin.blogspot.com/2008/05/terremotos-no-brasil-e-no-mundo-fora-da.html

11 comentários:

  1. Seu blog e otimo e traz uma boa informacao. Esta de informacoes sobre os terremotos veio esclarecer muitas duvidas.
    Tornei sua seguidora.
    Meu blog http://pensandoerefletindoemdetalhesdavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Caro professor José Carlos, é um prazer muito grande tê-lo como meu seguidor. Tornei-me seguidor seu também. Seu espaço tem informações muito relevantes. Um grande abraço!

    Prof. Ivanilson
    www.ivanilson.com

    ResponderExcluir
  3. Olá caro professor José Carlos!
    Fiquei lisonjeada pelo comentário! E muito feliz, pois mostra que estou no caminho certo, entre erros e acertos...
    Seu blog é muito interessante, traz assuntos atuais e tem muita informação! com certeza vou indicar aos meus alunos.
    Adoro esse mundo digital, pois nos possibilita trabalhar de forma extraordinária.
    Parabéns pelo blog!!
    Abraço!
    Profª Rosilene

    http://biologiarosilene.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. REtribuindo a visita. Muito obrigada. Não sou educadora, ainda estou aprendendo e estudando muito, mas gosto de contribuir com o que posso.
    Achei muito oportuna essa sua postagem sobre terremotos. Precisando de algo, é só falar.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Puxa vida que belo texto uma verdadeira aula, muita informação e fácil de entender parabéns.

    Jorge

    ResponderExcluir
  6. Professor, gostaria de manter contato por e-mail. Sou do blog Colheita Viva - http://colheitaviva.blogspot.com
    Meu contato: colheitavivabr@hotmail.com
    Gratidão

    ResponderExcluir
  7. Olá. Belo blog.
    Acabei de criar o meu blog educativo. Estou aqui para te convidar a visita-lo.
    http://opiniaodeeducadora.blogspot.com/
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  8. esta asturiana te da infinitas gracias por tu comentario dejado en mi bloc, que viniendo de ti para mi es todo un honor, encantada de visitar tu bloc donde esta cuajado de buena educación y sublime información, te sigo, un besin muy grande.

    ResponderExcluir
  9. Obrigado Prof. pela visita ao meu blog e, igualmente passo a ser seu seguidor, pois também adorei o seu cantinho. Além disso é sempre bom sabermos da companhia de pessoas ligadas à mesma área (educação) mesmo se as especialidades não estão tão imbricadas assim.

    Forte abraço e BFS.

    ResponderExcluir
  10. Caro colega José Carlos,descobri por acaso o teu blog do qual gostei muito.Bastante atualizado e com assuntos interessantes,servindo até como indicativo para pesquisas de estudantes do ensino fundamental e médio.Estou te seguindo e te convido a visitares o meu blog,que é bastante simples mas com textos sòmente da minha autoria.
    www.ensinoregular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Visitando o teu espaço, gostei bastante. São temas relevantes e que devemos dar atenção. Abraço!

    ResponderExcluir